logo

16/6/2022 18:26

O deputado Paulo Pimenta relembrou hoje a campanha de 2018, quando Bolsonaro prometeu acabar com o ativismo ambiental

0 0 0 0

1125 visitas - Fonte: Brasil 247

O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) lembrou nesta quinta-feira (16) que, na campanha eleitoral de 2018, Jair Bolsonaro, atualmente no PL, prometeu acabar com o ativismo ambiental. O parlamentar fez a postagem em um contexto no qual o governo federal está sendo criticado por conta do assassinato do indigenista da Fundação Nacional do Índio (Funai) Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips, que aconteceu no dia 5 deste mês na Amazônia.


Bolsonaro disse em 9 de outubro de 2018 que "não pode ter ambientalismo xiita no Brasil". "Vamos acabar com a indústria de demarcação de terras indígenas. Índio não quer ser latifundiário. Índio quer poder arrendar a terra, quer poder fazer negócio, quer energia elétrica, quer dentista para arrancar toco da boca. O índio é ser humano como a gente. Não quer ser usado para políticas", afirmou ele em entrevista à TV Bandeirantes.

No Twitter, Pimenta chamou Bolsonaro de "canalha". "Estudo da ONU mostra que a cada oito dias um ativista é morto no Brasil, 4° país que mais mata defensores de direitos humanos. Não custa lembrar: na campanha de 2018, em 9 de outubro, o Canalha Vagabundo prometeu acabar com o ativismo ambiental, caso fosse eleito", escreveu o petista.


O parlamentar fez referência ao estudo divulgado pela ONG internacional Global Witness no último trimestre do ano passado. De acordo com a pesquisa, o Brasil ficou em quarto lugar no ranking dos países que mais matam defensores e defensoras de direitos humanos, ficando atrás de Colômbia, México e Filipinas.

A posição ao governo e boa parte da sociedade criticaram a declaração de Bolsonaro sobre Dom Phillips, após ele dizer que o jornalista era "malvisto" na Amazônia.

No Twitter, internautas cobraram a prisão de Bolsonaro por crimes cometidos durante o seu governo e também pediram que o Congresso Nacional instale a CPI do Garimpo.


Caso Bruno Pereira e Dom Phillips

Os irmãos Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como Pelado, e Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como Dos Santos, confessaram o assassinato do indigenista e do jornalista. Eles desapareceram no dia 5 deste mês na Amazônia.

Além dos irmãos, a Polícia Federal investiga mais três suspeitos pelo assassinato de Bruno Pereira e Dom Phillips.






Plantão Brasil foi criado e idealizado por THIAGO DOS REIS. Apoie-nos (e contacte-nos) via PIX: apoie@plantaobrasil.net

Clique aqui para entrar no grupo de WhatsApp e receber imagens, vídeos e notícias contra Bolsonaro e o fascismo.



APOIE O PLANTÃO BRASIL - Clique aqui!

VÍDEO: CPI DO CAPITÓLIO NOS EUA!! EDUARDO B0LSONARO NA MIRA:



Se você quer ajudar na luta contra Bolsonaro e a direita fascista, inscreva-se no canal do Plantão Brasil no YouTube.


O Plantão Brasil é um site independente. Se você quer ajudar na luta contra o golpismo e por um Brasil melhor, compartilhe com seus amigos e em grupos de Facebook e WhatsApp. Quanto mais gente tiver acesso às informações, menos poder terá a manipulação da mídia golpista.


Últimas notícias

Notícias do Flamengo Notícias do Corinthians