logo

22/10/2021 15:47

Política diplomática do governo Bolsonaro isola o Brasil cada vez mais

0 0 0 0

900 visitas - Fonte: UOL

Muitas são as marcas de longo prazo que a política externa do governo Bolsonaro deixará. Entre elas, o legado típico de uma diplomacia ideológica, que coloca de lado os interesses estratégicos do Brasil e, em vez de perseguir objetivos pragmáticos, se curva a decisões que salvaguardam o governo, mas não o Estado brasileiro.



Há tempos que vemos derreter o prestígio do país nos foros multilaterais. Também testemunhamos a desarticulação completa de nossa liderança no campo regional. Agora, mais do que nunca, os efeitos se manifestam também em relação aos parceiros historicamente prioritários para o Brasil na arena bilateral.

Para além dos desajustes com a Argentina e das ressalvas que vêm da União Europeia (incluindo o que tange ao acordo com o Mercosul), acompanhamos, nas últimas semanas, o estrangulamento mais acentuado também com China e Estados Unidos.



A China proibiu a importação de carne bovina do Brasil sob o argumento de que houve confirmação de dois casos de "vaca louca" por aqui no último mês. O veto, que era considerado temporário, já perdura por quase 50 dias, mesmo sem que novas manifestações da doença tenham sido comprovadas. A China é o maior importador de bovinos do Brasil, absorvendo quase a metade das remessas brasileiras.

Tanto a bancada ruralista do Congresso nacional quanto produtores do setor e diplomatas brasileiros consideram que as dificuldades de normalização das vendas do produto passam pela deterioração das relações bilaterais em função de sistemáticas manifestações do presidente e de seus aliados sobre a China e a insistente tentativa de responsabilização do país pela pandemia de covid-19.

No caso da relação com os Estados Unidos, também já ultrapassamos a fase em que desfrutávamos "apenas" da relativa indiferença do governo Biden, chegando, agora, a enfrentar declaradas restrições defendidas por lideranças daquele país.



Recentemente abundaram notícias e apurações que dão o tom sobre o assunto. Falam sobre congressistas dos Estados Unidos pedindo que o presidente retire oferta para que o Brasil se torne um parceiro extrarregional da OTAN. Falam sobre pressões para que os Estados Unidos punam o Brasil por desmatamento. Falam sobre preocupações com a qualidade de nossa democracia.

A diplomacia, que é feita de gestos e acenos, também é eloquente quando se trata do "não dito" ou do "não feito". Não se deve desprezar, portanto, o fato de que Biden e Bolsonaro não tenham se encontrado durante a Assembleia Geral da ONU, em Nova York, mesmo estando hospedados no mesmo hotel. Também é vocal que o Brasil tenha sido excluído da primeira viagem do Secretário de Estado Antony Blinken à América do Sul.

No país da "política externa sem partido" e do "Brasil acima de tudo" parece que temos algumas contradições para administrar. Enquanto isso, vamos pagando o preço —em dólar.

*Por Fernanda Magnotta

Clique aqui para entrar no grupo de WhatsApp e receber imagens, vídeos e notícias contra Bolsonaro e o fascismo.



APOIE O PLANTÃO BRASIL - Clique aqui!

VÍDEO: CPI DO CAPITÓLIO NOS EUA!! EDUARDO B0LSONARO NA MIRA:



Se você quer ajudar na luta contra Bolsonaro e a direita fascista, inscreva-se no canal do Plantão Brasil no YouTube.



O Plantão Brasil é um site independente. Se você quer ajudar na luta contra o golpismo e por um Brasil melhor, compartilhe com seus amigos e em grupos de Facebook e WhatsApp. Quanto mais gente tiver acesso às informações, menos poder terá a manipulação da mídia golpista.


Últimas notícias

Notícias do Flamengo Notícias do Corinthians