logo

5/5/2021 17:44

Bolsonaro desafia requerimento da CPI da Covid para que informe sobre suas saídas: ´´Não interessa aonde fui``

0 0 0 0

1326 visitas - Fonte: UOL

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reclamou publicamente de informações que a CPI da Covid quer obter dele sobre suas saídas às ruas, em que houve aglomerações e falta de uso de máscaras, apesar de uma lei ordenar a utilização do equipamento durante a pandemia de coronavírus. "Não interessa", disse ele nesta quarta-feira (5), em cerimônia no Palácio do Planalto sobre lançamento de redes de internet com tecnologia 5G.



O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) fez requerimento aglomerações e falta de uso de máscara de Bolsonaro. Sem mencionar o parlamentar, o presidente criticou os dois temas.

"Recebo agora documentos da CPI para dizer onde eu estava nos meus últimos fins de semana, 50 [um ano possui 52 finais de semana]", iniciou Bolsonaro. "Não interessa onde eu estava", continuou. "Respeito a CPI: estive no meio do povo. Tenho que dar exemplo. É fácil para mim ficar dentro do Palácio do Alvorada. Tem tudo lá."

Em outro trecho do discurso, Bolsonaro reclamou da cobertura da imprensa sobre o fato de ele não utilizar máscaras em vários eventos públicos.



"As nossas mídias vão mostrar a ponte, a obras, e não repetir, na mesma tecla: ’O presidente estava sem máscara na inauguração’. Já encheu o saco isso, pô.Jair Bolsonaro, presidente da República
Na sequência, voltou a falar de aglomerações. "Olhe o que aconteceu domingo. Sabemos que o vírus mata, lamentamos as mortes, mas o povo foi às ruas. Temos que enfrentar esse problema."

Autor dos requerimentos, Girão respondeu ao presidente utilizando a ideia de "exemplo" e citando frases do padre italiano Francisco de Assis, que viveu no século XIII. "As palavras podem até convencer, mas é o exemplo que arrasta", disse o senador ao UOL.



CPI vai mostrar destino de "bilhões", diz Bolsonaro

No discurso, Bolsonaro disse que a CPI será uma oportunidade para vai mostrar o que "alguns" fizeram com "bilhões de reais" enviados pelo governo federal a estados e prefeituras. Ele também pediu que sejam convocados profissionais que defende o chamado "tratamento precoce". Normalmente, o termo é usado para um grupo de remédios sem comprovação científica para tratamento do coronavírus, dentre eles a cloroquina e a ivermectina.

Ontem, a medicação foi criticada pelo ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), que deixou o governo por divergir do presidente na condução da pandemia. Hoje, Bolsonaro disse que quem é contra o chamado "tratamento precoce" e não oferece alternativas é "canalha".

Ele também disse que a CPI deve analisar o efeito de "doses cavalares" da hidroxicloroquina no enfrentamento à pandemia em Manaus (AM). A capital foi a primeira a viver a segunda onda de coronavírus no Brasil. Lá, desenvolveu-se uma cepa brasileira do vírus, mais contagiante que a primeira.



Bolsonaro voltou a dizer que seu governo está "há dois anos e quatro meses" supostamente "sem corrupção". Não mencionou que, desde 2019, a Polícia Federal e o Ministério Público investigam um então secretário do Palácio do Planalto por suposto desvio de dinheiro e corrupção durante o governo dele. O secretário só deixou o governo em 2021.

Clique aqui para entrar no grupo de WhatsApp e receber imagens, vídeos e notícias contra Bolsonaro e o fascismo.



APOIE O PLANTÃO BRASIL - Clique aqui!

VÍDEO: CPI DO CAPITÓLIO NOS EUA!! EDUARDO B0LSONARO NA MIRA:



Se você quer ajudar na luta contra Bolsonaro e a direita fascista, inscreva-se no canal do Plantão Brasil no YouTube.



O Plantão Brasil é um site independente. Se você quer ajudar na luta contra o golpismo e por um Brasil melhor, compartilhe com seus amigos e em grupos de Facebook e WhatsApp. Quanto mais gente tiver acesso às informações, menos poder terá a manipulação da mídia golpista.


Notícias do Flamengo Notícias do Corinthians