logo

25/11/2020 18:39

Militares desaprovam gestão de Pazuello e sugerem que ele vá para a reserva

0 0 0 0

2016 visitas - Fonte: IG Economia

Alvo de críticas de especialistas e em setores da política, o ministro Eduardo Pazuello começou a ter sua gestão à frente do Ministério da Saúde questionada também entre os militares.



Nos bastidores da caserna, há quem defenda que é o momento do ministro seguir a doutrina militar e tomar uma decisão. Praxe que, inclusive, é citada pelo presidente Jair Bolsonaro: "melhor uma decisão mal tomada do que uma indecisão". Essas altas patentes falam que chegou a hora de Pazuello oficializar sua ida para a reserva.



Há incômodo - de generais a soldados - em ver que Pazuello ainda possui a farda verde-oliva. "Ele deveria pedir reserva", é a frase direta de diversos generais ouvidos pela coluna.

A decisão é individual e não há muito o que o comandante do Exército, general Edson Pujol, possa fazer. Pazuello está respaldado pela lei, tem o direito de servir à Presidência e pedir licença do Exército.

Pazuello assumiu a pasta de forma interina em abril, foi efetivado em plena pandemia do coronavírus e agora se transformou apenas em um "cumpridor de missão" ou de ordens do presidente. Mesmo que elas politizem um assunto de saúde pública.
"O cargo é político, uma vitrine. (a atuação e críticas) Já estão e vão respingar nas Forças Armadas, no Exército particularmente. E isso não é bom", disse um coronel.



"Especialista em logística"

A pressão por uma definição do ministro aumentou com o episódio dos testes para a detecção do coronavírus encalhados em um galpão de Guarulhos (SP). Na avaliação de militares ouvidos pela coluna, o caso mancha a biografia do ministro diante da pandemia e os indícios de que a segunda onda já está se tornando uma realidade.

Alguns lembram que boa parte dos testes foi comprada nas gestões passadas. Mas reconhecem que, como ministro, ele deveria ter organizado a pasta para não cometer atos que prejudiquem a população ou os cofres públicos.



Quando chegou ao ministério, que assumiria de forma temporária, Pazuello teve justamente a experiência de logística destacada por seus pares.

Muitos ainda salientam que o general tem qualidades no currículo, mas avaliam que a "obediência ferrenha" a Bolsonaro tem levado o ministro a entregar resultados ineficientes durante a pandemia.

O Exército acompanha a atuação do ministro, tem auxiliado o governo em diversas frentes de ações durante a pandemia, inclusive a produção da polêmica hidroxicloroquina, que ainda não teve eficácia confirmada.



Tentam evitar brigas políticas, fogem de polêmicas e destacam o trabalho de levar medicamentos e auxílio a comunidades carentes em grotões do país.

"Quem está no plano-piloto (em Brasília), nos Jardins (em São Paulo) ou em Ipanema (no Rio de Janeiro) não vê a atuação do Exército Brasileiro, mas quem está no Amapá, na Amazônia e em diversos lugares distantes do país sabe do trabalho que é feito", diz um general da ativa.

Dentro da caserna repetem que "todos ali são experientes em logística" e que Pazuello hoje não faz parte de um deles.



Enquanto tenta reforçar diariamente internamente e também para a população, repetindo outra máxima de que "se trata de uma instituição de Estado e não de governo", o Exército aguarda agora o pedido de saída de Pazuello.

Clique aqui para entrar no grupo de WhatsApp e receber imagens, vídeos e notícias contra Bolsonaro e o fascismo.



APOIE O PLANTÃO BRASIL - Clique aqui!

VÍDEO: STF DECIDIU! LULA TERÁ ACESSO A ARQUIVOS SECRETOS DA VAZA JATO!!!



Se você quer ajudar na luta contra Bolsonaro e a direita fascista, inscreva-se no canal do Plantão Brasil no YouTube.



O Plantão Brasil é um site independente. Se você quer ajudar na luta contra o golpismo e por um Brasil melhor, compartilhe com seus amigos e em grupos de Facebook e WhatsApp. Quanto mais gente tiver acesso às informações, menos poder terá a manipulação da mídia golpista.


Notícias do Flamengo Notícias do Corinthians