logo

10/1/2017 12:00

Mesmo com Justiça impugnando, Alckmin aumenta as tarifas de transporte

Oficial de Justiça relata que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), se recusou a receber a intimação com a decisão liminar da Justiça que suspendia o reajuste da tarifa do transporte no Estado, que valeria a partir de hoje; alegando não ter sido ainda notificado, o governo manteve o aumento da passagem e adiantou que irá recorrer da decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo; o oficial de Justiça João Carlos de Siqueira Maia foi entregar o documento no fim da tarde de sexta-feira 6 no Palácio dos Bandeirantes, onde disse ter chegado às 17h20 e esperado “em vão” até às 18h; agenda de Alckmin registrava compromisso no próprio local nesse horário; confira o documento

SP 247 – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), driblou a Justiça na última sexta-feira 6 para não ser notificado sobre a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) que suspendia o aumento da tarifa do transporte a fim de manter o reajuste, que estava prometido para valer a partir desta segunda-feira 9.

O oficial de Justiça João Carlos de Siqueira Maia deixou registrado que chegou ao Palácio dos Bandeirantes na sexta às 17h20, foi recebido pelo sr. Pedro Henrique Giocondo, que se disse assessor de Alckmin, e que avisou que o governador estaria em agenda externa, sem previsão de chegada. Maia esperou então então até às 18h a chegada do governador, segundo ele, “em vão”.

No site do governo do Estado, porém, a agenda de Alckmin registrava um compromisso às 16h no próprio Palácio dos Bandeirantes, e mais nenhum compromisso posterior. Confira:



O oficial de Justiça relata ainda no documento que o assessor do governador não aceitou receber a notificação – segundo ele, por orientação do procurador geral do Estado, dr. Elival, mas que foi informado sobre o conteúdo da decisão. “Dei ciência ao assessor acima do inteiro teor do mandado e do deferimento da liminar”, disse Maia.

O governo estadual dissera na tarde desta segunda ainda não ter sido notificado e anunciou que irá recorrer da decisão.

A integração foi reajustada de R$ 5,92 para R$ 6,80. Está valendo também a cobrança da taxa de integração nos terminais metropolitanos, que antes era gratuita, e passou a ser cobrada em valores que variam de R$ 1 e R$ 1,65.

Segundo a decisão do juiz Paulo Furtado de Oliveira Filho, manter o preço da tarifa básica do transporte público na capital, que foi congelada em R$ 3,80, mas elevar o preço da integração (ônibus com o metrô ou o trem) é injusta.





MAIS
» Direto da Espanha: Presidente do Brasil recebe R$ 1 milhão em propina e pode cair
» E se fosse Lula e não Temer que tivesse recebido cheque de 1 milhão em propina, o que faria Moro e a Globo?
» Bairros de Caruaru ficam sem médicos após fim de contrato de cubanos

228 visitas - Fonte: falandoverdades

Notícias do Flamengo Notícias do Corinthians